30 de jul de 2015

Hammercult – Built For War

2015 – SPV/Steamhammer Records – Importado 

Nota 10,0/10,0

Texto: Marcos "Big Daddy" Garcia


Nos últimos anos, o Thrash Metal voltou com tudo, e está em evidência uma vez mais. O grande problema com isso é o número enorme de bandas que acabam pegando carona nessa prevalência, e tiram a chance de muitos. Só que, mesmo assim, alguns nomes sublimes surgem de onde menos esperamos, e tendem a ser tornarem os novos pontas-de-lança do estilo. E um desses, que ameaça o reino do Big Four e do Trio Alemão é, sem sombra de dúvidas, o excelente quinteto HAMMERCULT, de Israel, que chega com seu terceiro álbum, "Built For War".

Antes de tudo, o que diferencia o quinteto da grande maioria é justamente seu enfoque agressivo, ríspido, e até mesmo moderno (basta reparar nos tons de voz usados, na técnica das guitarras, e de baixo e bateria, que fogem bastante do convencional do estilo), mas tendo boas estruturas melodiosas que moldam cada uma das canções da banda. Os vocais de Yakir, antes mais rasgados à lá IMPALED NAZARENE, agora ganharam mais diversidade de timbres; as guitarras do veterano Guy e do novato Yuval são muito bem entrosadas, criando riffs que aliam agressividade e melodia, além de solos inspirados (e a técnica de ambos lembra um pouco a de bandas mais refinadas como KING DIAMOND e MERCYFUL FATE em alguns momentos), e a cozinha rítmica de Elad Manor (baixo) e Maayan Henik (bateria) esbanja peso, técnica e força, dando à música do grupo uma base extremamente bem feita e diversificada. O resultado da fusão de cada um desses elementos é algo opressivo, forte, pesado, moderno, cheio de energia, e principalmente, original. Se você já é fã da banda desde "Anthems of the Damned" e "Steelcrusher", vai viciar em "Built For War".

A qualidade sonora de "Built For War" é excelente, dando peso, energia e agressividade ao trabalho da banda, mas sem destruir a clareza ou obliterar as melodias. Mas ao ver o nome de Tue Madsen (que já trabalhou com HOLY MOSES, THE HAUNTED, MOONSPELL, HEAVEN SHALL BURN, DARK TRANQUILITY, entre outros) na mixagem e masterização já é garantia de um trabalho ótimo, de qualidade bem acima da média. 

Hammercult
A arte de feita por Péter Sallai é ótima, icônica, uma declaração do quinteto: sem políticos, sem bancos, sem fronteiras, sem nações, sem cultos, apenas o HAMMERCULT!

O grupo soube em "Built For War" dar aquele passo adiante de seu trabalho, sem abrir mão de sua identidade musical. A melhoria nos arranjos, as melodias mais evidentes, e o acúmulo de influências vindas do Hardcore e o lado mais despretensioso rockeiro do MOTORHEAD se aglutinaram muito bem, sem deixar a banda descaracterizada em relação ao que já fez antes. Ainda é o mesmo Thrash Metal rasgado de antes, apenas mais evoluído.

From Parts Unknown - Introdução que abre o disco, e aclimata o ouvinte.

Rise of the Hammer - Uma canção não tão veloz como é costume do gênero, mas ainda assim, agressiva e intensa, com bela amostra da força das guitarras do grupo.

I Live for This Shit - Nesta, a força da cozinha rítmica se torna mais evidente, com uma velocidade maior e que torna a faixa mais bruta e com impacto, um costume da banda. Mas reparem nos riffs insanos.

Spoils of War - As melodias são mais evidentes, belo trabalho dos vocais, usando o timbre rasgado costumeiro de Yakir com vocais limpos.

Ready to Roll - Um dos pontos mais altos do CD. A canção tem velocidade reduzida, um refrão extremamente empolgante, com um jeitão MOTORHEAD em muitos pontos, com uma força incomum das guitarras e vocais, mas não deixem de reparar no que Elad e Maayan estão fazendo na base rítmica.

Raise Some Hell - Outro ponto alto do CD. Aqui, uma faixa com aquele típico andamento em tempo médio, mais abrasiva e agressiva de doer os dentes. Mais uma vez, Guy Ben e Yuval usam de um arsenal de riffs excelentes, e Yakir usa muitos timbres de sua voz agressiva.

Blackened Blade - A velocidade volta a ser o foco, como solos ótimos. E podemos ver os elementos de "Steelcrusher" e "Anthems of the Damned" revisitados, mas sob o escopo atual do grupo.

Let It Roar - Riffs do mais puro Thrash'n'Roll dão início a outra canção rápida, mas cheia de momentos mais lentos, mostrando uma diversidade boa, sempre empolgante e apresentando backing vocals muito bem postados.

Ode to Ares (Interlude) - Uma curta e calma instrumental para nos deixar tomar fôlego.

Altar of Pain - Assim como "Let It Roar", possui variações de andamento excelentes, mas sempre, mas sendo mais agressiva e feroz, mais uma vez com riffs incríveis e bem feitos, com uma envoltória melodiosa incrível.

Blood and Fire - Mais uma vez, a força Thrash'n'Roll do grupo entra em cena, usando um andamento com velocidade nada exagerada, empolgante e com aquele jeitão mezzo Thrash, mezzo Punk/Hardcore mais uma vez, embora baixo e bateria mostrem um trabalho pesado e bem técnico.

Saturday Night Circle Pit Fight - Mais uma com forte ranço Hardcore/Thrash'n'Roll, mas sem deixar a melodia de fora (reparem nas intervenções das guitarras sob as linhas vocais), transpirando adrenalina e levando ao moshpit sem dó. Mesmo durante os solos, a banda massacra.

Road to Hell - Abrasiva, raivosa e um assassinato em massa em forma de música, com guitarras incríveis, vocais intensos e um massacre da base rítmica. 

E se você comprar a versão LP, uma surpresinha maravilhosa:

Evil Has No Boundaries - Sim, uma versão explosiva e destruidora de um dos maiores clássicos do SLAYER, com uma agressividade moderna. E mais uma vez, Yakir consegue usar uma boa diversidade de timbres vocais, bem como Guy Ben e Yuval mostram que podem respeitar o original, mas impondo o estilo de cada um solar e tocar riffs. E Elad e Maayan usam de suas próprias técnicas para abrilhantarem a música. E sim, sem desmerecer o clássico, deram uma renovada na canção. Uma homenagem a um dos maiores compositores e mais influentes guitarristas do Thrash e Death Metal, Jeff Hanneman. 

E a versão deluxe CD+DVD tem o show "Live in Tel Aviv 2014", que mostra a energia e fúria do HAMMERCULT ao vivo.

Se está cansado de esperar que o Big Four americano volte às boas, e que trio germânico pare de dar sinais de cansaço, já passou da hora de dar ouvidos ao que este quinteto tem a dizer e mostrar. Se você quer Thrash Metal de primeira linha, o HAMMERCULT é a banda perfeita para você!

Top 10 de 2015 com certeza! E lá vou eu morrer em uma grana nos importados (por que raios a SPV/Steamhammer não tem representação no Brasil???)!

ALL HAIL HAMMERCULT!




Músicas:

1. From Parts Unknown
2. Rise of the Hammer
3. I Live for This Shit 
4. Spoils of War 
5. Ready to Roll 
6. Raise Some Hell 
7. Blackened Blade 
8. Let It Roar 
9. Ode to Ares (Interlude) 
10. Altar of Pain
11. Blood and Fire 
12. Saturday Night Circle Pit Fight
13. Road to Hell
14. Evil Has No Boundaries (apenas na versão LP)


Banda:

Yakir Shochat – Vocals 
Guy Ben David – Guitars 
Yuval Kramer – Guitars 
Elad Manor – Bass 
Maayan Henik – Drums 


Contatos:

Wild Child - Seven (CD)

2015 – MS Metal Records – Nacional 

Nota 9,0/10,0

Texto: Marcos "Big Daddy" Garcia


O ecleticismo musical tem se tornado mais e mais usado dentro do Rock e Metal aqui no Brasil. É uma maneira de fugir dos clichês, de criar algo mais pessoal, que não seja copiado do trabalho alheio. E é interessante ver uma banda como o WILD CHILD, que vem de Curitiba (PR), que mostra um estilo bem pessoal em "Seven", seu segundo álbum.

Não pretendo definir o estilo musical deles com um rótulo musical. Digo-lhes apenas que a banda consegue fundir a força do Heavy Metal em seu instrumental com uma técnica muito boa (que esbarra no Rock Progressivo em muitos momentos, sem ser extremamente minimalista ou deixar o peso de lado), com vocais que lembram bastante nomes como o de Chris Cornell (SOUNDGARDEN) e Scott Weiland (ex-STONE TEMPLE PILOTS), ou seja, um vocal forte e melodioso, com timbres ótimos e carregado de emoção. E se não chega a ser algo extremamente inovador, tem personalidade bem distinta.

A produção ficou nas mãos do trio Marcelo Gelbcke, Thiago Forbeci e Felipe Souzza (ou seja, guitarrista, baixista e baterista do grupo), e está intensa e pesada, mas o nível de clareza é absurdo. Nos é possível compreender cada acorde e nota separadamente sem grandes esforços. E a arte de Carlos Fides do ArtSide Digital Studio encaixa perfeitamente na música do quarteto.

Wild Child
Belos arranjos, músicas que esbanjam feeling e bons arranjos, nada de repetitivo e sempre agradável aos ouvidos, a música do WILD CHILD nos envolve bastante. E isso mesmo tendo uma canção longa como "Church Bells" no álbum. E não, nenhuma das sete faixas é descartável. 

Never Let Yourself Down - Uma canção bem cheia de melodia e introspecção, com um jogo de vocais muito bom (alguns guturais surgem contra cantando com os limpos cheios de emoção), fora o ótimo approach técnico em alguns momentos.

Myself in Pieces - Bem trabalhada, com um andamento instigante, muitas mudanças de ritmo, o que deixa em evidência o ótimo trabalho de baixo e bateria, fora uns backing vocals muito bem encaixados, além de vozes femininas e alguns poucos efeitos eletrônicos aqui e ali.

All I Want, All I Need - Mais técnica e com um toque refinado vindo do Rock Progressivo, o baixo se destaca bastante nesta canção com ótimas melodias, andamento firme que oscila entre o etéreo e o pesado. Mas lembre-se que é uma música cheia de variações de tempo e mudanças de enfoque rítmico.

Find Your Way - Esta foi a faixa do Single que precedeu o álbum, e é incrível como o grupo consegue mudar do agressivo para o suave com maestria e sem soar díspar em momento algum. E que belos vocais mais uma vez.

The Circle of Hate - Aqui, o andamento é um pouco mais arrastado em seus momentos agressivos, mas mesmo assim, os momentos mais melodiosos se fazem presentes mais uma vez, enriquecendo a agressividade moderada da banda. E outra vez, belos backing vocals surgem no refrão.

Church Bells - Com mais de 15 minutos de duração, ela se divide em três momentos distintos: "Reflections" (onde o lado mais Progressivo fica bem evidenciado, com belas guitarras e baixo), "In the Heat of the Night" (mais pesado e intenso, além de muito bem trabalhado em termos técnicos, sem perder a melodia, e novamente, um trabalho fascinantes das guitarras) e "The Endless Cycle" (também pesado, mas bem introspectivo e carregado na emoção. E como os vocais nos embalam mais uma vez, em conjunto com ótimo solo de guitarra). E mesmo tão longa, não nos deixa entediados em momento algum. Mas acreditem: apesar das diferenças entre as três partes, o alinhavo usado pelo grupo transforma a canção em algo único.

Don't Turn Off The Lights - Um pouco mais melancólica, ela se alterna entre momentos limpos e introspectivos, e outros com peso. E novamente, os vocais dão uma aula de interpretação e sentimento.

"Seven" é um disco ótimo, que merece nossa ouvida com carinho. Se torna um vício com certeza.





Músicas:

01. Never Let Yourself Down
02. Myself in Pieces
03. All I Want, All I Need
04. Find Your Way
05. The Circle Of Hate
06. Church Bells
    I - Reflections
    II - In the Heat of the Night
    III - The Endless Cycle
07. Don't Turn Off the Lights


Banda:

Erik Fillies - Vocais 
Marcelo Gelbcke - Guitarras 
Thiago Forbeci - Baixo 
Felipe Souzza - Bateria 


Contatos:

MS Metal Agency Brasil (Assessoria de Imprensa)

AirTrain – AirTrain (CD)

2015 – MS Metal Records – Nacional
Nota 8,0/10,0

Texto: Marcos "Big Daddy" Garcia



O mais puro e despretensioso Hard Rock que se possa imaginar é a linha que muitas bandas brasileiras estão fazendo no momento. E o número cresce destas cresce dia após dia, quase que chegando a fazer frente ao número de bandas de Metal extremo (que é uma tradição do Brasil, como já dissemos outras vezes). E um nome muito bom que acaba de surgir por aqui é do quinteto AIRTRAIN, de SP, que acaba de soltar seu primeiro álbum, que leva o nome da banda, pela MS Metal Records.

Imagine uma banda que faz um Hard Rock forte e vigoroso à lá PINK CREAM 69 (ou seja, um híbrido do peso do Metal tradicional com os arranjos do Hard), cheio de ótimas melodias envolventes e músicas bem construídas, e leve toque setentista. Estará chegando bem perto do que este quinteto cria em sua música, que apesar de não ser nada de inovador (e nem precisa ser), tem uma personalidade muito forte. Ou seja: se tiver a impressão que é uma banda de Metal tradicional fazendo Hard Rock, ou uma banda de Hard Rock tocando Metal tradicional, não se preocupem, pois a música do grupo é dessa forma, e é sempre ótima.

Com produção, mixagem e masterização feitas por Tito Falaschi nos estúdios I.M.F (SP), “AirTrain” possui uma boa qualidade sonora. É limpa, fazendo com que consigamos compreender o que o quinteto está tocando. Mas ao mesmo tempo, possui uma dose de peso excelente. E a arte de Quinho Ravelli (capa) e João Duarte (encarte e layout) ficou muito boa.

AirTrain
O AIRTRAIN capricha nos arranjos e consegue criar uma música envolvente, forte e cheia de energia. Mas a música deles é feita com um nível técnico mais sóbrio, que nos permite assimilar quase que instantaneamente o trabalho deles.

Living for a Love – Uma bela música de abertura do disco. Acessível, forte, com ótimas melodias nas guitarras e um refrão envolvente muito bom.

Back to War – Essa possui uma pegada que lembra o IRON MAIDEN em sua fase mais inicial, focada em um bom nível de peso. Mas percebam que a acessibilidade musical está presente, e ouvimos um trabalho de baixo muito bom, além de uns arranjos um pouco mais intrincados nas guitarras.

German Night – Um pouco mais cadenciada que as duas primeiras, mas pesada e com um refrão interessante. E nessa faixa, fica óbvio a força dos vocais da banda.

Road to the Sky – Uma balada pesada, intensa e cheia de força. Uma vez mais, as guitarras se destacam bastante.

Shark Attack – Mais uma vez, o peso do Hard’n’Heavy aparece em uma faixa bem ganchuda e cheia de energia. Os vocais estão bem postados, e tudo nas devidas medidas.

Julianne – Apesar da idéia que o nome possa remeter, esta não é uma balada, mas sim, uma faixa com mais acessibilidade que as outras, bem comercial, e que tende a fazer sucesso no meio, pois é bem elegante e extremamente grudenta.

Rock the Bones – A bateria dá um peso absurdo a esta canção, que é bem acessível, mostrando ótimos backing vocals e a base rítmica se mostra coesa.

Into My Soul – Agora temos uma balada bem mais acessível, elegante e melodiosa, com belos arranjos de guitarras limpas, mas óbvio que há momentos em que o peso aparece, mas sem quebrar o lado mais sentimental da canção.


Apesar de ser uma banda ainda bem jovem (tem apenas 3 anos de fundação), o AIRTRAIN já é um nome muito promissor, e tem futuro. É um diamante que precisa de mais lapidação, mas é um diamante, verdade seja dita.

Quem viver, verá.




Músicas:

01. Living for a Love
02. Back to War
03. German Night
04. Road to the Sky
05. Shark Attack
06. Julianne 
07. Rock the Bones
08. Into My Soul


Banda:

Caio Siriani – Vocais
Julio Machia – Guitarras 
Arthur Santos – Guitarras 
Guilhermee Delmolin – Baixo
Ivan Rehder – Bateria 


Contatos:

MS Metal Agency Brasil (Assessoria de Imprensa)

28 de jul de 2015

METALMORPHOSE: videoclipe para a música ‘Marcas do Tempo’ está disponível





Os heróis do Metal nacional estão com um novo videoclipe, agora para a música ‘Marcas do Tempo’, retirada do recém-lançado álbum ‘Fúria dos Elementos’.

O clipe editado pelo próprio baixista da banda, André Bighinzoli, e une um pouco da história desta grande banda, intercalando imagens de performances atuais com algumas do início do METALMORPHOSE. As imagens foram retiradas do show de lançamento em BH (Igor Arruda, Filipe Barizon e Dayane Rodrigues), do vídeo promocional do Fúria (Beto Zepher), imagens criadas como banner eletrônico para o show do Metalmorphose no Super Peso Brasil (Marcelo Chelles) e fotos do Rock Humanitário (The Stalker).


Este é o segundo clipe retirado de ‘Fúria dos Elementos’, anteriormente um vídeo para a música ‘Corda Bamba’ havia sido lançado:


‘Fúria dos Elementos’, que já está disponível para venda diretamente com o grupo ou nas melhores lojas especializadas do país.

Lembrando que o METALMORPHOSE, irá aportar na cidade de São Paulo neste fim de semana!

O grupo se apresenta no Manifesto Bar no dia primeiro de agosto, sábado. As portas serão abertas às 18h e o METALMORPHOSE estará no palco exatamente às 18h30! Além do lendário grupo carioca, se apresentam as bandas Válvera e Muqueta Na Oreia.

Mais informações, ingressos antecipados e detalhes podem ser conferidos pelo link:


Ingressos promocionais podem ser adquiridos na loja Die Hard, na Galeria do Rock.


Sites relacionados:

Fonte: Metal Media

28/07/2015: News Metal Media




On Fire Booking: agência fecha com banda Matricidium para turnê na Europa


Mal chegou da primeira sequencia de shows na Europa, em que ficou quatro meses excursionando pelo Velho Continente, a On Fire Agency anuncia o contrato com a banda Matricidium para uma turnê entre os meses de outubro e novembro ainda deste ano.

A banda passará por países como Alemanha, França, Bélgica, Holanda, Itália, Áustria e Eslovênia. Em breve todas as datas serão anunciadas.

De Balneário Camburiu, a banda Matricidium pratica Thrash Metal em linhas mais extremas. Conheça mais sobre a banda: https://www.facebook.com/Matricidium

Para mais informações sobre preços, formas de pagamento e datas disponíveis, entre em contato pelo e-mail: onfirebookingagency@gmail.com

A agência possui van própria, backline, motorista e Tour Manager.

Mais informações: www.facebook.com/onfireagency



Ancesttral: nova loja virtual está disponível


O ANCESTTRAL acaba de lançar uma nova loja virtual para que os fãs encontrem com mais facilidade todo o merchandise do grupo.

Vale lembrar que além de envio para todo o Brasil, a nova loja virtual conta com várias opções de pagamento, confira:


A banda segue na produção do amplamente aguardado álbum ‘Web of Lies’. O trabalho está nas mãos do renomado produtor ganhador do Grammy Latino, Paulo Anhaia. Toda a gravação do material está sendo feita no próprio estúdio do ANCESTTRAL.


Para ter um gostinho do que vem no novo álbum, o ANCESTTRAL disponibilizou um lyric video para a música ‘What Will You Do?’.




Sites Relacionados:



Chafun Di Formio: esforço em votação rende matéria em jornal local


O CHAFUN DI FORMIO está determinado a participar em um festival na cidade de São Paulo ao lado de bandas como Ratos de Porão e Worst. Tal esforço rendeu até uma matéria em importante jornal no Triângulo Mineiro.

O Portal Em Foco destacou não apenas o esforço do grupo de Ituiutaba, mas também sua grande qualidade musical e a ampla aceitação de seu trabalho de estreia, ‘Pague Dez e Vá Pro Céu’.


O grupo de Crossover está na frente da votação, mas ainda pede e conta com o apoio da galera underground pra continuar no topo. Para votar, visite:


Lembrando que o CHAFUN DI FORMIO disponibilizou seu debut EP para download gratuito.

Sob o título de ‘Pague Dez e Vá Pro Céu’, o EP foi lançado em parceria com o selo Wolves Cave Records e gravado no Chederrecords Studios, com mixagem e masterização de Rodrigo Nepomuceno. A arte da capa ficou por conta de Arth Silva.

Para baixar gratuitamente o EP, clique:


Do trabalho também foi retirado um videoclipe para a música ‘Minha Toada’, assista:


Sites relacionados:



Morfolk: headliner da nova edição do Máquina Profana Fest


Um dos nomes mais respeitados do Death Metal sul-americano, MORFOLK, está confirmado como atração principal do festival Máquina Profana.

O já tradicional evento conta ainda com as bandas HellArise, Infector Cell e 100 Vërba.


O festival, que já está em sua oitava edição, acontece no dia 16 de agosto no Formigueiro Rock Bar, com início às 16h. Mais informações: https://www.facebook.com/events/1462303734069924/

Não deixe de conhecer também a fanpage do site que organiza o evento, publica notícias, resenhas, entrevistas e apoia plenamente o underground nacional: https://www.facebook.com/MaquinaProfanaFest

Este show faz parte da turnê de divulgação de ‘…Until Death’, terceiro álbum completo do grupo de São José dos Campos.

‘…Until Death’ foi lançado pelo selo Violent Records e conta com oito músicas. O CD tem produção do músico e produtor Leandro Queiroz e foi gravado em seu estúdio. Já a capa ficou por conta do baterista Daniel Sanchez, que também é artista gráfico e designer profissional.



Um videoclipe também foi lançado:


Sites Relacionados:



Gasoline Special: álbum disponível no iTunes e Spotify


Os paladinos da luta pelo Rock-como-deve-ser, GASOLINE SPECIAL, estão com seu debut, ‘RCK’n’RLL’, disponível para venda agora também em formato digital.

O álbum está disponível nas maiores distribuidoras de música digital e sites de streaming do mundo, como iTunes, Spotify e Deezer, confira alguns links:


Lançado no ano passado, o disco leva o título de ‘RCK’n’RLL’ e mostrou que o Brasil ainda pode ser um grande celeiro de bandas de Rock, pesado, sujo e incorreto. Tanto a banda quanto o álbum foram positivamente bem recebidos pelos fãs e mídia especializada, colocando a banda inclusive nas famosas listas de melhores do ano.



Formado em 2007, a banda jundiaiense desde então, tem atropelado todo tipo de tendência e modinha, espancando sempre a mesma tecla: Tocar o Rock n’ Roll em toda sua liberdade, sem frescura ou censura. O GASOLINE SPECIAL é pura fúria Rock nascida diretamente do coração dos seus integrantes!


Sites Relacionados:



Sistema Sangria: participando dos 15 anos do Ódio Social


O SISTEMA SANGRIA tem um compromisso importantíssimo na capital paulista: celebrar os 15 anos dos parceiros do ÓDIO SOCIAL.

O festival acontece no Morfeus Club no dia 16 de agosto e conta, além dos anfitriões ÓDIO SOCIAL e do SISTEMA SANGRIA, com bandas como Rrraict Tuff, Kob 82, Agaglok, entre outras. Mais informações sobre o evento pelo link: www.facebook.com/morfeusclub

A banda segue divulgando o álbum ‘Sistema Sangria’, que acaba de ser relançado em formato CD.


‘Sistema Sangria’, produzido por Marcello Pompeu e Heros Trench, foi lançado pelos selos Equivokke Records, Corsário Discos, Manaós Distro, Back On Track, Cabra Da Peste, Vanila Tapes e Terceiro Mundo Caos Distro.

Para este relançamento, além do álbum, o CD conta com as músicas do 4-Way-Split, a música do tributo ao Ratos de Porão e a música do tributo ao Nitrominds. O trabalho conta ao todo com 29 faixas e já está disponível.


Sites relacionados:



Fonte: Metal Media

Conheça os mistérios do THE VINTAGE CARAVAN

















O THE VINTAGE CARAVAN é um mistério. "Arrival", terceiro álbum deste trio islandês que acaba de ser lançado no Brasil via Voice Music/Nuclear Blast Brasil, implica em uma maturidade digna de qualquer banda que tem estado na estrada por algumas décadas.

A verdade é que o trio tem caído no gosto de 10 entre 10 especializados no assunto. Seu Rock-Retrô-Psicodélico soa como um bom disco antigo e ao mesmo tempo é tem o frescor e a jovialidade da descoberta.

Descobertos em um festival em seu país, é difícil de acreditar no nível de compreensão que o THE VINTAGE CARAVAN tem sobre o estilo, a despeito da pouquíssima idade de seus membros. A banda já estava formada no final de 2005, quando Óskar Logi tinha apenas 11 anos de idade. Guðjón se juntou em 2006. Em Maio de 2012 o seu atual lineup foi completado, quando a Alex, apenas um pouco mais velho, se juntou ao grupo.

‘Arrival’ conta com dez músicas e duas faixas-bônus para o Brasil. Confira dois vídeos retirados do álbum:



Interessados podem encontrar o álbum nas melhores lojas do Brasil.

Lojistas, para mais informações entrar em contato com a Voice Music:
(11) 3744-0593



Fonte: Metal Media

SYMPHERIUM: debut álbum será lançado pela Eternal Hatred Records





O primeiro álbum de estúdio da SYMPHERIUM, intitulado “Philosophy of Symmetry”, será lançado no segundo semestre de 2015 no Brasil, no seu formato físico, através da Eternal Hatred Records.


O referido trabalho será distribuído pela Voice Music, para lojas especializadas e mega stores do país, além de contar com a CD Baby para sua distribuição em âmbito digital.


Para mais informações sobre as atividades da banda SYMPHERIUM e dos demais clientes da empresa, basta entrar em contato com a MS Metal Press através do e-mail contato@msmetalagencybrasil.com.

Links Relacionados:

28/07/2015: News MS Metal Agency



NYMPHO: grupo apresenta nova line up em 2015 


A banda NYMPHO, um dos representantes brasileiros do Hard Rock na atualidade, confirmou a sua line up para 2015, nesta nova fase da carreira em suporte ao álbum retrospectivo “Not That Innocent”

Além de contar com o carismático guitarrista e vocalista Criss Sexx, o grupo é formado pelo experiente guitarrista Leo Tavares, e pela cozinha composta por Fábio Pontes (baixista) e Pablo Pinheiro (baterista).


Em paralelo, o NYMPHO continua o agendamento das novas datas pelo Brasil em suporte ao seu novo álbum. Para mais informações sobre como reservar uma data para qualquer cidade do país, basta entrar em contato através do e-mail contato@msmetalagencybrasil.com.


Links Relacionados:



ETERNAL HATRED RECORDS: décimo quarto lançamento da empresa + infos


A ETERNAL HATRED RECORDS confirmou o lançamento do seu décimo quarto lançamento de 2015. Trata-se do novo trabalho da veterana banda carioca de Pagan Folk Metal PAGAN THRONE, intitulado “Swords of Blood”, nos formatos físico e digital, no dia 25 de julho.


Para adquirir a versão física do supracitado trabalho, basta enviar um e-mail para contato@msmetalagencybrasil.com.

Grupos com lançamentos programados para 2015:

MS Metal Records – 7th Symphony, Apoteom, Asthon Bridge, Conclave, Drace XII, Ergus, Frade Negro, Frost Valley, Iluminato, Fatal Scream, Heaviest, Lethal Rising, Mad Roulette, Motosserra Truck Clube, Morpheus’ Dreams, Mr. Ego, Tchandala, BrightStorm, OutMask, Plague of the Apocalypse, Silver Mammoth, Supersonic Brewer, Vakan e Warfield.

Eternal Hatred Records – Arcana Mea, Behavior, Cromathia, Dreim Deimor, Empty Grace, Hollow, Lusferus, Scrok, Soturnus, Torqverem, Vociferatus, Imperial Flame, Ódio ao Extremo e Rotten Filthy.

Alternative Music Records – Aphroditte, Tequila Honey e Sunroad.

É importante salientar que a MS METAL RECORDS está disponível apenas para os clientes da MS Metal Agency Brasil. Nesse sentido, visamos priorizar os clientes que confiaram seus projetos musicais aos cuidados da MS Metal Agency Brasil, mantendo também a característica que justifica a criação do selo: o de servir como mais um serviço da empresa.

A distribuição no Brasil de todos os produtos da MS METAL RECORDS é realizada pela Voice Music de São Paulo e, para o ano de 2015, serão anunciados novos distribuidores nos Estados Unidos e Europa.

Confiram abaixo o cast atualizado da empresa, e que terá suporte em solo europeu, ainda neste ano de 2015:

7th Symphony – AirTrain – Alefla – Almah – Amenize – Aneurose – Angra – Aphroditte – Apoteom – Arcana Mea – Asthon Bridge – Behavior – Bloodwork – BrightStorm – Bruno Ladislau – Conclave – Cromathia – Daniel Piquê – Death Rider – Degola – Desbrava – Drace XII – Dreim Deimor – Edu Falaschi – Empty Grace – Ergus – Fatal Scream – Felipe Andreoli – Fishead – Frade Negro – Frost Valley – Gueppardo – Hazy – Headhunter DC – Heaviest – Hollow – Iluminato – In Torment – Inner Immensity – Kiko Loureiro – Lethal Rising – Lusferus – Machinaria – Mad Roulette – Malefactor – Maya – Melyra – Mindcrafter – Misconducters – Morpheus’ Dreams – Motosserra Truck Clube – Morrigam – Mr.Ego – No Way – Nympho – Ódio ao Extremo – Outmask – Pagan Throne – Phantom – Plague of the Apocalypse – Rafael Bittencourt – Redquarter – Rotten Filthy – Santarem – Scrok – Sepultura – Serenity In Fire – Silver Mammoth – Soturnus – Sunroad – Supersonic Brewer – Superstitious – Sympherium – Tchandala – Tequila Honey – The Brainwash Machine – The Cross – Torqverem – Tritura – Tropa de Shock – Vakan – Vociferatus – Warcursed – Warfield – Wild Child

Para mais informações sobre as atividades dos clientes da empresa, basta entrar em contato com a MS Metal Press através do e-mail contato@msmetalagencybrasil.com.



MS METAL AGENCY BRASIL: novas adesões de peso ao cast para 2015/16


A MS Metal Agency Brasil, empresa brasileira especializada em gerenciamento de carreira para artistas voltados ao Rock e Heavy Metal, confirmou a adição de seis novos grupos em seu cast para a temporada de 2015/16.

As bandas FISHEAD, SANTAREM, MORRIGAM, GUEPPARDO, THE CROSS e SUPERSTITIOUS, ingressam ao time de artistas da empresa em momentos distintos em suas respectivas carreiras.

Artistas 2015/16:

FISHEAD: Uma das grandes revelações do interior de São Paulo. O grupo tem como proposta a fusão do Hard Rock com o Progressivo, e além do lançamento do Single “Road to Nowhere”, o FISHEAD esta se preparando para lançar o seu segundo álbum de inéditas, ainda sem título definido, e que será disponibilizado no Brasil através da MS Metal Records.

SANTAREM: Um dos grandes veteranos do Rock/Metal do país alia-se finalmente à equipe da MS Metal Agency Brasil. Dentro de um híbrido que alia técnica e feeling, o SANTAREM está preparando material inédito para lançamento ainda em 2015, desta feita através da MS Metal Records.

MORRIGAM: Hoje considerado o grande nome do cenário underground do Amapá, a MORRIGAM continua o processo de divulgação do seu primeiro EP “Anhangá”, que mescla com muita propriedade elementos do Death Metal com a cultura brasileira. Recentemente o grupo teve seu vindouro debut álbum confirmado pela Eternal Hatred Records no país. 

GUEPPARDO: Letras em português dentro de estruturas musicais que nos remetem diretamente aos anos oitenta. O GUEPPARDO traz para os fãs da atual geração, tudo que de melhor tem a junção do Hard Rock com o Heavy Metal, com a pegada única do músico brasileiro. O novo material da banda tem previsão de lançamento para o segundo semestre de 2015, através da MS Metal Records. 

THE CROSS: Pioneira do Doom Metal no Brasil, o THE CROSS é uma verdadeira instituição do Metal nacional. Na ativa desde o final dos anos oitenta, o grupo retorna à ativa com o lançamento de um EP, e com debut álbum prometido para o primeiro semestre de 2016, ambos pela Eternal Hatred Records. 

SUPERSTITIOUS: Pode-se afirmar seguramente que o SUPERSTITIOUS hoje é um dos principais representantes do Hard Rock AOR do Brasil, após o lançamento do seu novo álbum “Ride On The Stars”. O grupo assinou recentemente com a empresa, que distribuirá o referido material, além de ficar responsável pelos seus próximos lançamentos no mercado. 

Para mais informações sobre as atividades dos clientes da empresa, basta entrar em contato com a MS Metal Press através do e-mail contato@msmetalagencybrasil.com.



TEQUILA HONEY: vocalista do grupo em releitura do Blues Pills 


A vocalista da banda TEQUILA HONEY, Cynthia Honey, disponibilizou no seu canal pessoal no YouTube, uma versão para a clássica “Devil Man”, da banda Blue Pills.


O material foi registrado no Royal Records Studio, e contou com a participação do guitarrista Paulinho Trouble.


Para mais informações sobre as atividades da banda TEQUILA HONEY e dos demais clientes da empresa, basta entrar em contato com a MS Metal Press através do e-mail contato@msmetalagencybrasil.com.

Links Relacionados:



BLOODWORK: lançado primeiro lyric vídeo do grupo


A banda sulista BLOODWORK confirmou o lançamento, no último dia 01 de fevereiro, do seu primeiro lyric vídeo da carreira, para a música “Asphyxiant Cum Load”, extraída do seu debut “Just Let Me Rot”.


O material já está disponível para visualização no canal oficial do grupo no YouTube.


Para mais informações sobre as atividades da banda BLOODWORK e demais clientes da empresa, basta entrar em contato com a MS Metal Press através do e-mail contato@msmetalagencybrasil.com.

Links Relacionados:



SILVER MAMMOTH: confira agora o videoclipe da música “Pride Price”


A banda paulista de Classic Rock SILVER MAMMOTH, que conta com o carisma do vocalista e líder Marcelo Izzo, lançou recentemente o seu novo videoclipe da carreira, em sua página oficial no YouTube.


A canção escolhida para o registro chama-se “Pride Price”, com imagens retiradas de um show antológico do grupo em São Paulo, e foi extraída do seu segundo álbum homônimo, que vem sendo muito bem recebido pela mídia brasileira.


Em paralelo, o SILVER MAMMOTH continua o agendamento das novas datas pelo Brasil em suporte ao seu novo álbum. Para mais informações sobre como reservar uma data para qualquer cidade do país, basta entrar em contato através do e-mail contato@msmetalpress.com.

Para mais informações sobre as atividades da banda SILVER MAMMOTH e dos demais clientes da empresa, basta entrar em contato com a MS Metal Press através do e-mail contato@msmetalagencybrasil.com.

Links Relacionados:



PHANTOM: lançado o seu novo videoclipe da carreira


A banda paranaense PHANTOM disponibilizou recentemente, o seu segundo videoclipe da carreira, para a música “Kill N’ Run”, produzido integralmente por Alan Stresser. 


O material serve como suporte de divulgação do seu recém lançado debut, intitulado “Psycho Minds”, e que foi disponibilizado no Brasil através da MS Metal Records.


Para mais informações sobre as atividades da banda PHANTOM e demais clientes da empresa, basta entrar em contato com a MS Metal Press através do e-mail contato@msmetalagencybrasil.com.

Links Relacionados:



MISCONDUCTERS: novo álbum lançado em LP na Europa


O terceiro álbum da banda MISCONDUCTERS, intitulado “Boundless”, foi recentemente lançado no formato vinil na Europa.

O material, que será em breve disponibilizado no Brasil através da própria banda, possui edição limitada em 200 cópias, prensada na Inglaterra, contendo 180 gramas com encarte e letras. 


Lojas:

All Ages Records (Londres) http://www.allagesrecords.com/
Flashback Records (Londres) http://flashback.co.uk/
Banquet Records (Kingston Upon Thames) http://www.banquetrecords.com/
Circular Sound (Norwich) http://www.circularsound.musicstack.com/
Past & Present Records (Great Yarmouth) https://www.facebook.com/pastandpresentrecords?fref=ts


Links Relacionados:



Para mais informações sobre as atividades das bandas acima e demais clientes da empresa, basta entrar em contato com a MS Metal Agency através do e-mail contato@msmetalagencybrasil.com.

27 de jul de 2015

Maquinários – Intacto (CD)

2015 – Wikimetal – Nacional 
Nota 8,5/10,0

Texto: Marcos “Big Daddy” Garcia


Fazer Metal/Rock em português nunca foi algo simples. Sempre existiram problemas, em especial para a banda buscar maior aceitação de um público que (em tese) está acostumado há décadas com bandas que cantam em inglês. Mas no atual momento do Brasil, em que bandas como STRESS, CENTÚRIAS, SALÁRIO MÍNIMO, METALMORPHOSE e outros estão de volta, abrindo espaços, a coisa toda tem evoluído muito nesse sentido, e o público tem sido bem receptivo.

E esse fator tem muito peso, pois assim, o cenário é capaz de receber bandas jovens nessa linha, como o ótimo trio MAQUINÁRIOS, que chega com seu álbum “Intacto”, uma paulada de puro Heavy Metal/Rock’n’Roll.

Focado em uma escola mais tradicional à lá BLACK SABBATH e com alguns toques de Stoner Rock (mas sem ser tão sujo), mais a energia e vitalidade do Hard Rock clássico pulsando no trabalho da banda, que usa de ótimos refrões em todas as canções. Timbres vocais bem diferentes (e compatíveis com o que a banda faz), riffs secos e diretos (mas extremamente grudentos), solos bem feitos, base rítmica pesada e concisa, podemos dizer que a nossa mente viaja para a primeira metade dos anos 80 ao ouvir o som da banda, mas sem soar datado ou mesmo mofado. Não, o MAQUINÁRIOS possui uma vida, uma garra e energia bem pessoais.

Maquinários
A produção é assinada pelo trio, mas tendo como co-produtores a dupla Marcello Pompeu e Heros Trench, com tudo feito no Mr. Som estúdio em São Paulo (que está virando a Meca das bandas do Sul e Sudeste do país em termos de gravação). Resultado: uma sonoridade forte, moderna, pesada, mas limpa e clara, com tudo muito bem timbrado e audível. E a capa, feita pelo artista francês Olivier DZO Ducuing, é ótima, mostrando certo refinamento.

O segredo do MAQUINÁRIOS é simples: arranjos muito bons, mas criados dentro de uma questão de feeling, e não técnica. Tudo em “Intacto” soa espontâneo e despretensioso, mostrando que o grupo é bem melhor que a média das bandas do mesmo gênero.

Um Grito na Noite – Uma faixa pesada e densa, mas muito pegajosa, com excelente refrão e riffs ótimos. Uma canção ótima para iniciar um disco.

Desgovernado – Um pouco mais cadenciada e pesada, mas transpirando de puro feeling, esta é um dos melhores momentos do disco, apresentando um trabalho fantástico de guitarras.

Além da Estrada – Outro refrão ótimo, grudento, mas a canção cheia de feeling e bem acessível, mais uma vez com riffs muito bem feitos e vocais fazendo um ótimo trabalho.

Veneno, Sangue e Destroços – Bem trabalhada e com doses de peso cavalares, mas sem perder a noção melódica um segundo sequer. Reparem na força da base rítmica do grupo nessa canção.

Ignição – Assim como a anterior, é uma faixa em que peso e melodia se equilibram, mas se evidenciando os riffs duros e melodiosos.

Vulto Negro – Mais agressiva e com uma vibração mais moderna que as anteriores, as melodias vocais e refrão mostram o lado mais melodioso do grupo.

Anjo ou Réu – Outra com muito peso nas guitarras, bela técnica de bateria e uma pegada pesada à lá DEEP PURPLE em alguns momentos. E a bateria mostra sua boa técnica de forma bem evidente.

Seis Milhas para o Inferno – Grudenta e com guitarras azedas, bateria e baixo com peso bem dinâmico, mas há um tempero Rock’n’Roll bem evidente aqui.

Intacto – Repetindo o mix “peso do Metal + garra do Hard”, esta faixa que encerra o CD mostra alguns momentos mais modernos em termos de velocidade em alguns momentos.

O trio mostra-se bem, é uma bela revelação, e tende a atingir patamares mais altos.



Músicas:

01. Um Grito na Noite
02. Desgovernado
03. Além da Estrada
04. Veneno, Sangue e Destroços
05. Ignição
06. Vulto Negro
07. Anjo ou Réu
08. Seis Milhas para o Inferno
09. Intacto 


Banda:

Watson Silva – Vocais, guitarras
Matheus Andrighi – Baixo 
Diego Massola – Bateria 


Contatos:

ASE Pess Music (Assessoria de Imprensa)